APOINME

Contra a extração de areia e por defender as nascentes dos rios Barrinha, Rio do Peixe Grande, Rio do peixe Pequeno e Represa de Cumuruxatiba, indígenas da TI Comexatibá recebem ameaças por grileiros de terras.

Indígenas Pataxó da Aldeia Tibá, indignados com a exploração descontrolada de um areal no território Pataxó Comexatiba, Prado – BA, resolveram realizar a autodemarcação no início do mês de agosto de 2023 desta área, com o objetivo de preservar o meio ambiente e também os quatro rios que ali passam.

No último dia 29 de Dezembro de 2023, os Pataxó receberam a visita truculenta de uma pessoa acompanhada por um agente da polícia civil, se dizendo ser dono de onde funcionava o areal, e alegando que tinha uma intimação ao cacique da Aldeia Tibá, com isso lideranças indígenas do Território Comexatiba escreveram um manifesto, onde relatam suas indignações e anseios.

Segundo o manifesto “Na manhã da quarta feira, às 7.30 do dia 02 de agosto de 2023, moradore(a)s Pataxó da Aldeia Tibá, indignado(a)s com a intensificação da exploração ilegal da mineração de areia e do uso de sua Terra Indígena Comexatiba para depósito do lixo que vinha sendo recolhido na vila, decidiram por fazer sua autodemarcação do areal”.

Esse areal vinha impactando diretamente a aldeia Tibá seus moradores, estudantes, professores e o meio ambiente no geral.

E os lideranças colocaram isso no manifesto, “Colocando em risco de destruição total, pelo menos, seis nascentes que alimentam os principais cursos d’água que servem o povoado e matam a sede da população local, os Rios do Peixe Grande; do Peixe Pequeno; Barrinha (centro) e Cumuruxatiba (represa)”.

O manifesto cita mais coisas, como ameaças que o povo Pataxó vem sofrendo por conta da autodemarcação do areal, segue o relato “O fato que nos causou maior indignação foi este senhor ter novamente invadido a área autodemarcada no dia 29 de dezembro, acompanhado por um agente da polícia civil e um outro acompanhante fazendo ameaças para forçar assinatura de uma suposta intimação direcionado ao Cacique José Fragoso. Intimação, cujo Delegado da Polícia Civil de Prado, durante o registro do Boletim de Ocorrência, não reconheceu afirmando estar inclusive, em período de recesso de fim de ano. Observando que não é a primeira vez que lideranças e membros das comunidades indígenas locais, são hostilizados e humilhados por este agente público. De posse de documentação frágil, imprecisa e omissa quanto ao reconhecimento de que se trata de Terra Indígena, contrariando até os próprios objetivos dos projetos de reforma agrária, considerados, este Senhor demonstrou ter conseguido anuência, não apenas, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, como do CODEMA e do próprio prefeito para praticar sua ação criminosa contra a comunidade da Aldeia Tibá, TI Comexatiba com graves consequências para moradore(a)s do povoado”.

Por fim, o manifesto cita seus prejuízos materiais, causados pelos não indígenas que tentaram invadir a autodemarcação,  “Quatro cadeados arrombados, um colchete de entrada quebrado, parte da cerca destruída e nossa faixa de identificação do Território rasgada. Este senhor tem sido visto com frequência portando armas de fogo e ameaçando parentes que ele toma como desafetos. Diante do exposto, solicitamos à FUNAI, ao MPF e à Corregedoria da Polícia do Estado da Bahia, as providências cabíveis para os crimes cometidos, em defesa dos Direitos Indígenas, de nosso território e da segurança de nossas lideranças e comunidade exposta nas ameaças recebidas e citadas”.

A comunidade Pataxó especificamente da aldeia Tibá, clamam por justiça e exigem imediatamente a segurança de seus familiares.

E DIGA AO POVO QUE AVANCE, AVANÇAREMOS!

Manifesto dos lideranças indígenas do Território Comexatiba

Por: Comunicação APOINME

Nos sigam em nossas redes sociais

Instagram @apoinme_brasil@apiboficial|@inescoficial

Threads @apoinme_brasil

Twitter @ApoinmeOficial

Site apoinme.org

YouTube

Apoinme Oficial

#MarcoTemporalNÃO

#DemarcaçãoJá

#DemarcaçãoÉDemocracia

#NaturezaéVida